História

A idéia de se desenvolver uma sistematização no atendimento a pacientes vítimas de trauma surgiu na cidade de Auburn, Nebraska, em 1976, quando o Dr. James Styner, um cirurgião ortopédico de Nebraska, sofreu um sério acidente aéreo com sua família. Sua aeronave pessoal caiu em uma plantação de milho e sua esposa morreu no momento da colisão, três de seus quatro filhos foram seriamente feridos e o filho mais velho teve apenas um braço fraturado.
Após o acidente, o Dr.Styner teve de acenar para um carro e pedir que ele e seus filhos fossem levados para o hospital mais próximo. O pequeno hospital rural estava fechado. O serviço de emergência foi aberto e o médico local chegou quase 10 horas depois do acidente. Por sorte, o Dr.Styner e seus filhos sobreviveram a tamanha espera.
Dr. Styner ficou tão abalado com aquele atendimento que se motivou para mudar a abordagem do traumatizado mudo afora. O Dr. Styner afirmou: ""When I can provide better care in the field with limited resources than what my children and I received at the primary care facility, there is something wrong with the system and the system has to be changed" (Quando, em áreas rurais com recursos limitados, se pode prover melhores cuidados do que aqueles que eu e meus filhos recebemos no atendimento primário, há algo errado com o sistema de saúde e ele deve ser modificado). Ele se uniu ao Dr. Paul Collicott, cirurgião geral e vascular, e começaram a desenvolver um programa que otimizasse a abordagem do politraumatizado e a criação de um centro de trauma integrado. Eles pesquisaram por dois anos e, juntamente com o pessoal do ACLS® e da Lincoln Medical Education Foundation (instituição da qual os dois faziam parte), desenvolveram um protocolo de atendimento a politraumatizados. Seguindo esta iniciativa, os serviços locais de atendimento pré-hospitalar e de atendimento de enfermagem também sistematizaram seu atendimento a pacientes vítimas de trauma.
Dois anos depois, em 1980, o American College of Surgeons editou aquele protocolo e o publicou como o ATLS® (inspirado nos moldes do ACLS®, já posto em prática desde 1976), iniciando sua disseminação nacional. Em 1981, o Canadá foi o primeiro país fora dos EUA a receber o ATLS® e seguiu-se a difusão internacional. Páises da América Latina começaram a implementar o curso em 1986. Desde então, a publicação original foi atualizada e revisada várias vezes, a última tendo sido realizada em 1997 (6ª edição).

"...há algo errado com o sistema de saúde e ele deve ser modificado."